Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Diário da Pinkinha

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”

O Diário da Pinkinha

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”

Cruzamento de dados em 2009

- Telefonista: Pizza Hot, boa noite!
-
Cliente: Boa noite, quero encomendar Pizzas...
- Telefonista: Pode-me dar o seu NIN?
-
Cliente: Sim, o meu Número de Identificação Nacional é o 6102 1993 8456 5463 2107.
- Telefonista: Obrigada, Sr. Lacerda. O seu endereço é na Avenida Paes de Barros, 19, Apartamento 11, e o número do seu telefone é o 21 549 42 36, certo? O telefone do seu escritório na Lincoln Seguros, é o 21 574 52 30 e o seu telemóvel é o 96 266 25 66, correcto?
-
Cliente: Como é que conseguiu todas essas informações?
- Telefonista: Porque estamos ligados em rede ao Grande Sistema Central.
-
Cliente: Ah, sim, é verdade! Quero encomendar duas Pizzas: uma Quatro Queijos e outra Calabresa...
- Telefonista: Talvez não seja boa ideia...
-
Cliente: O quê...?
- Telefonista: Consta na sua ficha médica que o senhor sofre de hipertensão e tem a taxa de colesterol muito alta. Além disso, o seu seguro de vida proIbe categoricamente escolhas perigosas para a saúde.
-
Cliente: Claro! Tem razão! O que é que sugere?
- Telefonista: Por que é que não experimenta a nossa Pizza Superlight, com Tofu e Rabanetes? O senhor vai adorar!
-
Cliente: Como é que sabe que vou adorar?
- Telefonista: O senhor consultou a página 'Receitas Gulosas com Soja' da Biblioteca Municipal, no dia 15 de Janeiro, às 14:27 e permaneceu ligado à rede durante 39 minutos. Daí a minha sugestão...
-
Cliente: Okay, está bem! Mande-me então duas Pizzas tamanho familiar!
- Telefonista: É a escolha certa para o senhor, a sua esposa e os vossos quatro filhos, pode ter a certeza.
-
Cliente: Quanto é?
- Telefonista: São 49,99.
-
Cliente: Quer o número do meu Cartão de Crédito?
- Telefonista: Lamento, mas o senhor vai ter que pagar em dinheiro. O limite do seu Cartão de Crédito foi ultrapassado.
-
Cliente: Tudo bem. Posso ir ao Multibanco levantar dinheiro antes que chegue a Pizza.
- Telefonista: Duvido que consiga. A sua Conta de Depósito à Ordem está com o saldo negativo.
-
Cliente: Meta-se na sua vida! Mande-me as Pizzas que eu arranjo o dinheiro. Quando é que entregam?
- Telefonista: Estamos um pouco atrasados. Serão entregues em 45 minutos. Se estiver com muita pressa pode vir buscá-las, se bem que transportar duas Pizzas na moto, não é lá muito aconselhável. Além de ser perigoso...
-
Cliente: Mas que história é essa? Como é que sabe que eu vou de moto?
- Telefonista: Peço desculpa, mas reparei aqui que não pagou as últimas prestações do carro e ele foi penhorado. Mas a sua moto está paga e então, pensei que fosse utilizá-la.
-
Cliente: Foooddddddd.......!!!!!!!!!
- Telefonista: Gostaria de pedir-lhe para não ser mal educado... Não se esqueça de que já foi condenado em Julho de 2006 por desacato em público a um Agente Regional.
-
Cliente: (Silêncio).
- Telefonista: Mais alguma coisa?
-
Cliente: Não. É só isso... Não. Espere... Não se esqueça dos 2 litros de Coca-Cola que constam na promoção.
- Telefonista: O regulamento da nossa promoção, conforme citado no artigo 095423/12, proibe a venda de bebidas com açúcar a pessoas diabéticas...
-
Cliente: Aaaaaaaahhhhhhhh!!!!!!!!!!! Vou atirar-me pela janela!!!!!
- Telefonista: E torcer um pé? O senhor mora no rés-do-chão...!

Restaurante Tromba Rija - A resposta do restaurante

Depois de ter introduzido o artigo sobre a alegada burla no restaurante Tromba Rija, enviei de imediato um e-mail ao mesmo, para que pudessem apresentar a versão deles. De imediato foi-me enviada a resposta deles, que coloco aqui:


CIRCULA NA INTERNET UM EMAIL COM DOIS DOCUMENTOS ANEXOS, AFIRMANDO UM CLIENTE QUE FOI BURLADO NO RESTAURANTE TROMBA RIJA EM LISBOA

 

 

À guisa de PERGUNTA / RESPOSTA, vamos esclarecer este assunto, e enviamos o conteúdo deste documento para todos os nossos AMIGOS, que sabem que seria IMPOSSIVEL alguém, em qualquer dos estabelecimentos TROMBA RIJA, ter semelhante atitude, de um modo intencional.

 

 

A CAUSA INICIAL…

 

1.     Deste a abertura do Tromba Rija de Lisboa, em Dezembro de 2005, foi utilizada uma máquina de multibanco, que não podia ser deslocada da mesa da recepção. Era lá que os clientes efectuavam os pagamentos quando utilizavam cartões.

2.     Há cerca de duas semanas, antes do sucedido foi essa máquina trocada por uma outra, que pode ir à mesa do cliente.

3.     E foi essa a máquina utilizada na operação de que estamos a falar.

4.     A máquina em causa tinha activada a possibilidade de os clientes incluírem a gratificação no pagamento com o cartão, que veio activada a quando da recepção da mesma.

 

Então o que se passou de facto?

 

1.     Havia uma mesa marcada para 10 pessoas em nome do Sr Paulo Amado.

2.     Vieram 9 pessoas e quando terminou a refeição pediram para efectuar o pagamento.

3.     Foi levada a máquina à mesa para que o cliente efectuasse o pagamento, e neste caso foi o Sr. Sergio Santos  que o fez de facto.

4.     Isto porque só o titular do cartão pode fazer o pagamento…

 

E como se processou tudo para se chegar a semelhante situação?

 

Por se tratar de um cartão VISA Electron DB, a operação de pagamento, tem a seguinte sequência:

 

a.      Em frente ao cliente, porque é ele que tem o cartão e o entrega, este  é passado na máquina e em seguida é por nós colocado o valor da conta. Isso foi feito correctamente. Neste caso o valor era de 292,50 Euros.

b.      Neste momento entregamos a máquina ao cliente para que siga a operação de pagamento.

c.      O cliente confere o valor e carrega no botão de “OK”.

d.      Depois aparece a frase de Tip/Gratificação. O cliente digita a quantia de gratificação, se for caso disso e carrega em “OK”.

e.      A seguir aparece o total da conta com a gratificação incluída e novamente o cliente tem de validar, carregando de novo em “OK”.

f.       Só depois de tudo validado é que aparece a possibilidade de o cliente colocar o código pessoal.

g.      Assim que isso é feito sai o talão multibanco com a operação completa e o pagamento fica efectuado, ficando o original em poder do cliente e a cópia em poder do estabelecimento.

h.      O erro foi detectado pelo escritório no dia a seguir, sábado, mas…

i.        Não tínhamos o contacto do cliente porque

j.        A REDUNICRE, não fornece o número de telefone do titular do cartão.

 

Muito bem e depois?

 

         O procedimento habitual é aguardar 3 dias e depois ir directamente ao Banco emissor do cartão, para tentar conseguir os meios de contacto com os clientes.

        

         O que não foi necessário porque o cliente apareceu na segunda-feira, tendo sido devolvido o valor de 200 Euros, por meio de cheque.

 

               A  função que estava de poder incluir gratificação foi desactivada logo a seguir ,depois de se contactar a Redunicre para tentarmos saber o que se tinha passado ,e também para assim se evitar possíveis casos no futuro.

 

 

Mas não podia ter sido o empregado a fazer essas operações todas pelo cliente?

 

         Impossível, porque a máquina foi entregue ao cliente após a passagem do cartão e da colocação do valor da conta e foi ele que deu continuação à operação em frente ao Gerente José Mendes, que é também sócio da empresa.

 

Então o cliente é que executou todos os procedimentos?

 

         Exacto. E é por esse facto que ele não pode de modo algum apodar de BURLA o que se passou.

 

         Da nossa parte houve o descuido de não ver no final da execução se tudo estava bem. Mas isso é natural, porque tinha sido o José Mendes a efectuar a primeira operação de colocação do valor devido.

 

         Da parte do cliente houve um acto praticado de um modo inconsciente, com diversos passos obrigatórios, até completar a operação de pagamento. E é por isso que lhe cabe integralmente a culpa do que se passou.

 

         E LHE NÃO DÁ O DIREITO DE DIZER QUE HOUVE UMA BURLA NO TROMBA RIJA.

 

         Tanto mais que o valor lhe foi devolvido de imediato.

 

E então agora?

 

         O mundo está cheio de pessoas como a deste triste episódio.

 

         Todos os que nos conhecem – e são centenas de milhar – sabem que é IMPOSSIVEL ter acontecido uma coisa destas no TROMBA RIJA, de uma forma premeditada. Podia ter sido um erro, e mesmo assim isso não seria desculpável?

 

Mas se houve erro foi da parte do cliente, que não tem o direito de proceder da forma como fez.

 

Uma pequenina história a propósito:

 

 

As 3 Peneiras

 

Um rapaz procurou Sócrates – o filósofo -- e disse-lhe que precisava contar algo sobre alguém. Sócrates, então, tirou os olhos de um livro que lia e perguntou:

 

- O que me vai contar já passou pelas três peneiras?

- Três peneiras?

- Sim. A primeira é a verdade. O que me quer contar dos outros é um facto? Caso tenha ouvido falar, a coisa deve morrer por ai mesmo. Suponhamos que seja verdade. Deve passar então pela segunda peneira: a bondade. O que vai contar é coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho ou a fama do próximo? Se o que deseja contar é verdade, é coisa boa, deverá passar ainda pela terceira peneira: a necessidade. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode ajudar o planeta?

E arremata Sócrates:

- Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, você e como o seu irmão, todos teremos a beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia entre irmãos e colegas de planeta. Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz.

TripAdvisor-logo-3.jpg 

   234x60.pngBuy blog reviews

Get Sponsored by Big Brands 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

subscrever feeds